Autenticar

Realizar Login

Username
Password *
Lembrar

Modelos Sistema PAYT

Existem vários modelos de aplicação de um Sistema PAYT, e estes variam de acordo com as técnicas de identificação do produtor de resíduos e medição dos resíduos produzidos.

  1. Identificação do utilizador: Os meios de identificação podem ser chaves ou cartões eletrónicos. No caso da identificação de carater individual esta técnica permite identificar o utilizador, registando a utilização do serviço para posterior faturação. Nos Sistemas de Câmara, os contentores apresentam uma boca de abertura com dimensão específica que pode ser baseada no volume ou peso dos resíduos.

  2. Identificação do recetáculo: A identificação do utilizador é feita através de dispositivos indexados ao recetáculo.

A quantificação de resíduos pode ser feita por peso ou volume. A quantificação de resíduos pode ser efetuada em esquema individual ou de rotina.

  1. Esquema individual: considera que o volume de contentor está completamente cheio, uma vez que os contentores têm volume conhecido. Assim dá-se a possibilidade aos utilizadores de colocarem os contentores para recolha apenas quando estiverem cheios.

  2. Esquema de rotina: A frequência de recolha é definida pela entidade responsável, sendo contabilizada uma recolha em todos os contentores mesmo que estejam vazios. Desta forma incentiva-se os utilizadores a adquirirem contentores com o tamanho adequado para as suas necessidades.

Outros modelos de sistema PAYT:

  • Sistemas de contentor variável ou de subscrição de contentor: os clientes selecionam o número ou tamanho dos contentores que pretendem, sendo cobrado o serviço em função do volume e/ou número de contentores que possuem.

  • Programas de sacos: os clientes adquirem sacos com as cores correspondentes aos resíduos que pretendem depositar. O custo dos sacos corresponde ao custo de recolha, transporte e deposição de resíduos.

  • Programas de Etiquetas: os clientes adquirem um autocolante específico para os resíduos que pretendem que sejam recolhidos e os mesmos devem estar visíveis ao pessoal de recolha de forma a assinalar que o serviço foi pago.

  • Sistemas híbridos: os clientes pagam a tarifa atual que lhes dá direito a depositar uma determinada quantidade de resíduos que, caso seja excedida, resultará num pagamento adicional.

  • Sistemas de pesagem: estes sistemas funcionam com a utilização de veículos de recolha equipados com um sistema de pesagem de contentores, sendo os clientes cobrados em função da quantidade pesada.

Fonte: payt.info

Mais Informações

  • PAYT-Portugal
    Edifício Atlas III - Av. José Gomes Ferreira, nº 13 Miraflores 1495-139 Algés
  • Tel. (+351) 214 134 200

Newsletter

Subscreve a nossa Newsletter

Notícias em Destaque

  • Vamos pagar pelo lixo que produzimos? +

    Foi aprovado no dia 11 de Janeiro 2013 uma alteração ao pagamento de taxas de resíduos, tal como acontece em Ler mais
  • Taxar o lixo em função da produção favorece quem recicla resíduos +

    A Quercus apoia a proposta apresentada pelos partidos da maioria sugerindo ao Governo que tome medidas no sentido de que Ler mais
  • Portugueses produziram em Média menos 36Kg de Resíduos em 2012 +

    A produção total de resíduos urbanos (RU) em Portugal Continental, no ano de 2012, foi de aproximadamente 4,528 milhões de Ler mais
  • Evento O futuro dos Sistemas SMART (Save Money and Reduce Trash) +

    No dia 11 de Dezembro, decorre no Hotel Porto Palácio, Porto o evento Estratégias de Sustentabilidade no Setor dos Resíduos, Ler mais
  • Compta distinguished by the European Environment +

    Compta one of the largest national groups in the sector of Information Technology, - has been distinguished by the Eco-Innovation Observatory Ler mais
  • 1
  • 2